>

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Desejos do coração + linguagem hiperbólica

01
Para o desejo do meu coração, o mar é uma gota - Adélia Prado


→ Esta frase é genuinamente hiperbólica. 

02

Cabe aqui citar  trecho da poesia "quinto império" de Fernando Pessoa.

"Triste de quem vive em casa contente com o seu lar, sem que um sonho, no erguer de asa, faça até mais rubra brasa da lareira abandonar." Podemos contestar Pessoa dizendo que a brasa por si só se basta, mas o poeta com certeza tomaria de empréstimo uma fala do Nietzsche: ele teria dito mais ou menos assim - o homem é puro desejo, quando se esgota os canais [cinco sentidos] de desejos ele cria outros canais.

Nenhum comentário: