>

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

ATENDER PESSOAS, ATENDER A COISAS

.
Se você atender pessoas, sempre use esse verbo sem a preposição, como neste exemplo: O presidente da empresa atendeu o profissional. Nesse caso, o verbo pede um objeto direto (sem preposição). Se atender a coisas, use sempre a preposição, como na frase: O presidente atendeu a todas as expectativas ou neste outro exemplo: O presidente atendeu a uma premente demanda.
Fonte: Consultexto

domingo, 22 de janeiro de 2012

COMPORTAMENTO <> bebê ouve música para se acalmar

.
Por Airton Soares

"Desce gatinho,
lá de cima do telhado,
para ver se o meu filhinho
dorme um sono sossegado,
há, há, há, hê, hê, hê."

Era assim que minha mãe me fazia dormir. A sua mãe também, leitor cinqüentão. E hoje? Hoje é `zen - chiquesa´!

"Com fones de ouvido, bebê ouve música erudita em maternidade de Kosice-Saca, Eslováquia; ele participa de um programa experimental para acalmar os recém nascidos; segundo os responsáveis, Mozart e Vivaldi são os compositores preferidos dos bebês."

Tomara que esse programa dê certo. E vai dar! As plantas `escutam´, quanto mais nós, humanos, que temos ouvido de ouvir. Só uma coisinha me inquieta: será que nossos bebês irão se acalmar ouvindo Aviões do Forró?

`Quem é o gostozão daqui?
Sou eu
Sou eu
Sou eu..! ´


Meu medo é só esse! Só

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

<><> OFICINA GRATUITA NO SESC <><>

.
OFICINA PERMANENTE DE LEITURA DRAMÁTICA

Objetivo:
... Desenvolver de maneira lúdica e dramática, técnicas que capacitem os participantes a interpretação de textos literários, utilizando o corpo, o ritmo, a sonoridade e a expressividade presentes na prosa e poesia.

Local: SESC Fortaleza. Rua Clarindo de Queiroz, 1740 (Próximo ao Mercado São Sebastião),
Inscrições: (85) 3452-9090 <> Acontece todas às quintas-feiras de 19h às 21h <> Início: 09/02/2011.
Facilitador: Airton Soares

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

O tempo passa bem devagar e eu só seu te amar..

.


Por Airton Soares

O tempo passa bem devagar e eu só seu te amar...quando for velhinho ainda vou querer está ao teu lado e... Lá bem escondidinho no santuário íntimo do nosso ID, saltita o incontrolável desejo de um amor eterno, a exemplo do trecho da música. Excesso de romantismo? AidontiNou , mas que saltita, saltita!

Você não é mais a mesma


Airton Soares


Existe um obstáculo à comunicação humana que chamamos de "congelamento de avaliações."


Guardamos no "freezer" do inconsciente nossa história de vida e esquecemos do prazo de validade. Todos nós, com mais ou menos intensidade, desejamos voltar ao passado com postura nostálgica, doentia. Voltar ao passado só tem sentido quando o fazemos com o fito de aprendizagem.


Nossos relacionamentos vão "pras cucuia" porque não sabemos lidar com as mudanças. A propósito, gostei do poema de Joana D'Arc Oliveira Cruz.


"Amo-te. E amo-te simplesmente. Não te amo muito, amo somente. E não direi que meu amor continuará o mesmo. Em todo o tempo. Porque isso não é amar. Pois amor é vento. E vento estático nunca houve. Nem haverá. Mas é contínuo. Porque há sempre um novo ar. E é assim que eu quero te amar..."

Recebi e Agradeço

.
Recebi e Agradeço

"Airton, fico impressionado com seus textos. Você faz poesia, prosa, brinca, é sério, debocha, faz tudo num texto só. Incrivel essa sua agilidade mental. Feliz você por essa mente privilegiada."

Antonio Carlos Fernandes

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

GULA DE FAMÍLIA




Por Airton Soares


Sabe aquele dia em que você amanhece com gula de família? Foi assim que me senti há quinze anos quando convidei meu filho para almoçar comigo.

Recém separado, me sentia só e solitário e numa sexta-feira, almoçar com o filho não teria pedida melhor.

Cuido cedo dos preparativos. Corro à loja mais próxima. Compro toalha de mesa, talheres, guardanapos e uma infinidade de outros apetrechos pertinentes ao grande evento. Na volta, passo pelo mercado e compro Cará, o peixe dos meus "querê". Componho a mesa. Toalha nova e vistosa; talheres de fazer inveja a qualquer estrelado restô...

Nunca dei valor a isso. Pensava, enquanto fazia o almoço.

Peixada... Ôba! Que cheirinho gostoso. Estava apreensivo, mas feliz. Pra quem não sabia fritar um ovo...

10h45min. Ele chega já. Não vejo a hora.

11h10min. Nada! Será que ele vem mesmo? Ligo? Não, ele vem. Não é possível...

13h14min. Julius, adolescentemente alvoroçado, adentra ao apartamento destampando a panela fervente e com espantosa naturalidade diz: "Vixe, pai, é peixe!"... Vou almoçar no seu Ivan. "Seu Ivan" - Restaurante familiar situado nas cercanias do meu apartamento.

Ele sai da mesma forma que entrara e eu, mentalmente disforme, fico com a minha peixada, na minha mesa bem posta, triste e só. Você pode fazer uma pequena idéia do meu martírio, obrigado que fui a almoçar só e solitário.

Enquanto esmurrava a mesa, amaldiçoando todos os filhos do universo, uma vozinha, lá dentro, me chama "prasConversa": "Escute aqui, seu Airton, nada de ressentimentos, tá" Você há de lembrar da sua mãe: Aos domingos, quantas e quantas vezes, ela carinhosamente preparava seu almoço e vossa senhoria chegava lá pra cinco da tarde, das farras, "cheiDosPau"; E sua esposa... E blá... blá... Outra, seu Airton, você teve o mínimo cuidado em perguntar ao seu filho o que ele gostaria de almoçar? Não, não teve! Você preparou o SEU prato predileto na SUA mesa predileta. Se queixe não, jovem. Trate de curtir seu erro, sua dor, mas nada de ressentimentos.

Na ocasião, contei o ocorrido a um amigo e ele sem titubear aconselhou-me: chama teu filho e passa na cara dele esse atrevimento.

Não chamei. E fiz muito bem. Chorei. Curti minha dor e aprendi uma grande lição - lição clichê -, mas imortal. O que se faz aqui, aqui se paga!




"AS" AIRTON SOARES
É cearense, professor, palestrante e autor do livro: O Mundo Fora De Esquadro

Recebi e Agradeço

.
Um professor, um palhaço, um PROFESSOR PALHAÇO..
Com toda sua sabedoria de PHD - Poeta, Humorista e Didata, sabe passar a mensagem de maneira motivadora.
Uma palestra difícil de observar alguém dormindo, ao contrário, olhos bem abertos só esperando para ver o que vai sair de sua maleta.
Dela um mundo de objetos se transforma em explicações, poemas e nas mais diversas expressões do saber.
AGRADECEMOS ASSIM AO AIRTON SOARES, SUA PALESTRA SHOW NA BIBLIOTECA ESPAÇO DA PALAVRA.
Atenciosamente,
Dalvanir Santos
Fone: (85) 3404 3061
NORTH SHOPPING

Quem não Ama a Solidão, não Ama a Liberdade

.
 Nenhum caminho é mais errado para a felicidade do que a vida no grande mundo, às fartas e em festanças (high life), pois, quando tentamos transformar a nossa miserável existência numa sucessão de alegrias, gozos e prazeres, não conseguimos evitar a desilusão; muito menos o seu acompanhamento obrigatório, que são as mentiras recíprocas.
Assim como o nosso corpo está envolto em vestes, o nosso espírito está revestido de mentiras. Os nossos dizeres, as nossas acções, todo o nosso ser é mentiroso, e só por meio desse invólucro pode-se, por vezes, adivinhar a nossa verdadeira mentalidade, assim como pelas vestes se adivinha a figura do corpo.

Antes de mais nada, toda a sociedade exige necessariamente uma acomodação mútua e uma temperatura; por conseguinte, quanto mais numerosa, tanto mais enfadonha será. Cada um só pode ser ele mesmo, inteiramente, apenas pelo tempo em que estiver sozinho. Quem, portanto, não ama a solidão, também não ama a liberdade: apenas quando se está só é que se está livre.A coerção é a companheira inseparável de toda a sociedade, que ainda exige sacrifícios tão mais difíceis quanto mais significativa for a própria individualidade. Dessa forma, cada um fugirá, suportará ou amará a solidão na proporção exacta do valor da sua personalidade. Pois, na solidão, o indivíduo mesquinho sente toda a sua mesquinhez, o grande espírito, toda a sua grandeza; numa palavra: cada um sente o que é.

Ademais, quanto mais elevada for a posição de uma pessoa na escala hierárquica da natureza, tanto mais solitária será, essencial e inevitavelmente. Assim, é um benefício para ela se à solidão física corresponder a intelectual. Caso contrário, a vizinhança frequente de seres heterogéneos causa um efeito incómodo e até mesmo adverso sobre ela, ao roubar-lhe seu «eu» sem nada lhe oferecer em troca. Além disso, enquanto a natureza estabeleceu entre os homens a mais ampla diversidade nos domínios moral e intelectual, a sociedade, não tomando conhecimento disso, iguala todos os seres ou, antes, coloca no lugar da diversidade as diferenças e degraus artificiais de classe e posição, com frequência diametralmente opostos à escala hierárquica da natureza.
Nesse arranjo, aqueles que a natureza situou em baixo encontram-se em óptima situação; os poucos, entretanto, que ela colocou em cima, saem em desvantagem. Como consequência, estes costumam esquivar-se da sociedade, na qual, ao tornar-se numerosa, a vulgaridade domina.

Arthur Schopenhauer, in 'Aforismos para a Sabedoria de Vida'
Tema(s): Liberdade  Solidão  Ler outros pensamentos de Arthur Schopenhauer 
FONTE: CITADOR

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

LITERATURA FRANCESA

.




LITERATURA FRANCESA
Anatole France


Felicidade
"A vida nos ensina que jamais somos felizes senão à custa de certa ignorância.´
Na certa, o mestre, em outras palavras, quis dizer: Aquilo que a gente não `vê´, o coração não sente. Outro dia, li uma frase bem parecidinha com essa. Dizia + ou - assim: Quanto mais lemos, mais infeliz ficamos. A minha família diz: "Tu vai ficar doido de tanto ler". Aí, eu reflito: se leio fico doido, se não leio fico doido pra ler; não vejo diferença. Eu, hein? Doido por doido... melhor um doido sabido!

escarAfunCHANDO paLAVRAS preciosas

.
ETIMOLOGIA DA RAIZ GREGA HOLO

de grama em gramáTICA
enche o papo

Por Airton Soares

ETIMOLOGIA > HOLO {raiz grega} = completo, inteiro

Holofote > Tá lá no `Aurélio´. "Do fr. holóphotos, 'totalmente iluminado' Projetor de grande intensidade cuja luz ilumina os objetos a distância". Antigamente: avião perdido? holofote nele.

`DaiDeu´ { da raiz grega}:

Holocausto > sacrifício em que a vítima era queimada inteira.

Holística > um adjetivo que se refere ao conjunto, ao "todo", em suas relações com suas "partes", à inteireza do mundo e dos seres; estudo do ser humano em três dimensões: corpo somático, psíquico e cósmico.


É bom dizer
Caro leitor: a linguagem popular acompanhada de jocosidades, tem por objetivo tornar menos árido o presente estudo.
- Que é isso, AS, nem precisava dizer!
- É mesmo, né?

E para finalizar...

"Os homens gostam de contemplar o mundo com os olhos de Deus e de compreender os segredos do além, por meio do pensamento humano. Esse é o fruto da ignorância".

Khalil Gibran

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Fantasma

Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não tornar-se também um monstro. Quando se olha muito tempo para um abismo, o abismo olha para você.
Friedrich Nietzsche

domingo, 1 de janeiro de 2012

NOVO ANO 2012

.
Passagem do ANO NOVO...residência de minha amiga Cacilda Vilela...Observando bem o meu semblante, com este olhar abissalmente absorto, nem parece quEu tenho a alma moleca..