>

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

||| Li por Aí...||| 09

Por Airton Soares

๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛
Do meu flanelógrafo

Todos os créditos desta coluna vão para Hélio Passos, do Jornal Diário do Nordeste. Mas, considerando que nada neste mundo é plenamente absoluto, atribuí a mim, algumas migalhas de crédito, visto ser o responsável pela coluna e da escolha dos verbetes. Por isso, dou-me por satisfeito. A bem da verdade, o que mais importa é que o leitor goste do que se segue.... AS
๛๛๛๛๛๛๛๛ domingo - 25/09/2011

SEM MALDADE
Com todo o respeito que lhe tenho como pessoa e principalmente como presidente deste impávido colosso, não levo fé em Dilma e em ninguém do seu batalhão de ministros. Não lhe tenho a menor simpatia, e momentos há que a vejo como um caipira com chapéu de seda na cabeça.

DO OUTRO MUNDO
Para esquecer uma injúria, um amigo meu adotou uma norma de conduta exemplar: esqueceu o autor da injúria, recusou-se a vê-lo e até a ouvi-lo, se ele lhe falava. Ou seja: transformou o ser vivo em ectoplasma, antecipando-lhe a condição de alma do outro mundo.

FASE
Estou na fase em que os velhos livros, lidos na juventude, devem ser relidos nas edições desse período. Abro um deles, e dou com os meus 15 anos, intactos, guardados no exemplar encadernado em percalina, com Graciliano Ramos de perfil.

TALENTO
Uma vez convidaram Chico Buarque para compor a música de um filme, oferecendo-lhe um bom dinheiro. Ele recusou. O responsável pelo filme argumentou, alegando ter sido a mesma importância paga a Tom Jobim. E Chico, irredutível:

-- Ele tinha talento, e eu, não. E isso me obriga a trabalhar muito. Logo: mereço mais.


VERSOS
Os versos mais geniais que conheço são estes: "Eu daqui, e tu de lá / Passa um riacho no meio / Tu de lá me diz adeus / E eu daqui... tibum dendágua!!!"

Nenhum comentário: