>

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

||| Li por Aí... ||| 03

quinta-feira, 1 de setembro de 2011


Por Airton Soares
๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛๛
Tudo bem. Viva o computador, a internet.
Mas nenhuma coleção de CDs e DVDs ornamentará uma
sala como o calor e a dignidade de uma estante de livros.”
E este colunista - em final de expediente, exausto e sem assunto -
acrescenta: FALOU E DISSE!
๛๛๛๛๛๛๛๛ quinta - 01/09/2011
๛๛
NÃO CONTRAIA! - Pressionada pela linguagem oral, na qual são comuns as fusões de som, a escrita é levada a contrair — distraidamente — o que não pode gramaticalmente ser contraído. Em casos como o da frase “Apesar de o preso ter sido solto no mesmo dia...”, nunca se deve escrever “Apesar do preso ter sido...”, o que só é tolerado na oralidade. E isso pela simples razão de que o sujeito nunca pode ser regido por preposição. Portanto, na linguagem culta formal, não se deve fazer essa mistura. Consultexto - Ano 12 - nº 563 - 1º/09/2011
๛๛
CONTRAIR MATRIMÔNIO, PODE! Neste caso o sujeito realiza um contrato... um compromisso. Já contrair um resfriado [ ser afetado] cristão nenhum deseja, e como é difícil evitá-lo! Falar nisso, mestre Drummond diz que existem no mundo duas coisas difíceis de se evitar: paixão e resfriado. Até aqui tudo bem, - continua o poeta - o problema é que ninguém quer se vacinar contra o amor, mesmo sabendo dos seus efeitos colaterais.
๛๛
AMANHÃ, sexta-feira, dia de PoncioPilex. Sábado e domingo... curtir um redinha de tucum com direito a cafuné, né não? Fiquemos por aqui com a provocação da nossa Acadêmica [Academia Ipuense] e cordelista de mão, digo, de corpo cheio, Dalinha Catunda!
REDE NO ALPENDRE
*
Uma rede num alpendre
E um ventinho sedutor
Vento que vem do açude
Para abanar meu calor
São delícias que desfruto
Quando estou no interior.[...] Dalinha Catunda

Nenhum comentário: