>

segunda-feira, 29 de março de 2010

FAÇA O QUE EU DIGO NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO


Recebi e Agradeço 



Dalinha Catunda disse...
Olá Meu amigo Airton, eu e meus conceitos.
Um abraço,
Dalinha

EEEEU EM!!!!

- Menina “faça o que digo,
“Não faça o que eu faço”.
Assim falavam os antigos,
Querendo guiar meus passos.
Mas eu exigia era exemplo
Sempre adorei o meu templo
E segui o meu compasso.

Aos padres namoradores,
Meus pecados jamais contei.
Um pai cheio de amantes,
Não respeitei as suas leis.
Descarei a impostura,
E hoje sou esta criatura
Fundadora de sua grei.
30 de março de 2010 18:0

.C
.R
.Ô
.N
.I
.C
rAScunho

Por Airton Soares
Minha pretensão é conversar um pouco acerca da intrigante expressão popular “Faça o que eu digo e não faça o que faço”. Este dito nos passa a ideia de que o locutor é uma autoridade, chefe! “Dono do mundo”
E num faça não pra ver uma coisa.... Apesar de existir um largo fosso entre o discurso e a conduta exemplar, este falante não pensa: “Como posso convencer e persuadir uma pessoa se não dou um bom exemplo?” Longe disso, porque ele consegue o que quer, a hora que quer, não pela a arte da retórica, mas pelo poder e prestígio que ele detém.
Agora, veja esta outra situação: sou um dentista fumante. Com que cara...com que boca..com que autoridade vou dizer ao meu cliente que fumar estraga os dentes...afora outros estragos.. Defendo o dentista: ora, este dentista fumante sente na pele (prática do fumo) e na teoria o quanto o cigarro prejudica as pessoas. Um dentista que nunca fumou não tem a vivência (não sente na pele..digo, nos dentes ) os estragos do fumo. Portanto ele tem, digamos assim, mais autoridade no assunto do que um dentista não fumante.
Mudemos de contexto: se este mesmo dentista sai do consultório e vai ministrar uma palestra motivacional...aí meu amigo...são outros quinhentos... alguém da plateia poderá refutá-lo dizendo:
- Pois me diga aí, seu Doutor, por que o senhor ainda não deixou de fumar?
Muda tudo... O quEu quero defender: a cada contexto vamos descobrindo miríades de formas de pensar, sentir e agir (PSA). E para que o resultado do nosso “PSA“ nos seja favorável se faz necessário um leve “toque” em nossa prostrada consciência.

::: ASníusPeiBufo :::
Meu anjo – do bem? - Buzina: é bom ,“AS”, que tu pode errar à vontade, né...? É rascunho!

2 comentários:

Dalinha Catunda disse...

Olá Meu amigo Airton, eue meus conceitos.
Um abraço,
Dalinha

EEEEU EM!!!!

- Menina “faça o que digo,
“Não faça o que eu faço”.
Assim falavam os antigos,
Querendo guiar meus passos.
Mas eu exigia era exemplo
Sempre adorei o meu templo
E segui o meu compasso.

Aos padres namoradores,
Meus pecados jamais contei.
Um pai cheio de amantes,
Não respeitei as suas leis.
Descarei a impostura,
E hoje sou esta criatura
Fundadora de sua grei.

Inezteves disse...

eita que coisa boa...